Estratégias de estudo para ter uma boa pronúncia em inglês

Script adaptado da live de 24.04 que foi transmitida através do instagram e pode ser acessada aqui:https://youtu.be/Y0hFYWw4A38

Hoje vamos falar de pronúncia, mas com um foco diferente! O objetivo é compartilhar algumas dicas para que você já vá construindo uma boa pronúncia ao estudar, desde o começo, e também para que possa prestar atenção e corrigir alguns erros que esteja cometendo.

Primeiro vamos falar sobre sotaque e pronúncia. Depois vamos falar sobre o que levar em consideração para estudar pronúncia, com alguns exemplos e sugestões.Três coisas são bem importantes de se levar em consideração:

  1. Quando falamos de pronúncia, não estamos falando de soar como um nativo. Essa é uma ideia muito antiga, do tempo em que a maioria dos falantes de inglês era nativo. Hoje em dia, o inglês é uma língua global, então a maioria dos falantes são não-nativos. Sendo assim, todos os falantes devem se preocupar em serem inteligíveis, ou seja, falarem de uma forma que se possa entender, que facilite a comunicação.
  2. Quando falamos de pronúncia, não estamos falando de apagamento de sotaque. Para muitas pessoas o sotaque é importante pois mostra a sua identidade. Além disso, falantes que começam a aprender a língua quando adultos, tendem a ter sotaque, por mínimo que seja.
  3. Outra coisa importante é que muitas vezes não nos damos conta é como a pronúncia tem efeitos nas nossas 4 habilidades. Pensamos mais obviamente no speaking, mas nosso listening, writing e reading também são afetados pela pronúncia.

Muitos alunos chegam até mim dizendo que o grande problema deles é o listening, mas quando fazemos a avaliação de nível, é muito comum que se perceba que o problema vem da pronúncia. Nós esperamos escutar as palavras da maneira como as falamos. Acho que aqui já te convenci a prestar mais importância à pronúncia, certo?

Principalmente quando falamos de minimal pairs, palavras que se diferenciam por apenas um som. Foram feitos estudos que mostraram que, embora possamos identificar essas palavras pelo contexto (bed X bad, por exemplo) numa escuta mais extensa, a nossa memória de trabalho fica sobrecarregada e acabamos perdendo o entendimento global do texto, porque ficamos presos a essas pequenas distinções.

Quando lemos, por mais que o façamos de maneira silenciosa, o processamento das palavras também passa pela pronúncia. Nós falamos enquanto lemos e isso afeta nosso processamento das informações e, consequentemente, sua compreensão. Na escrita, a pronúncia está diretamente relacionada à maneira como escrevemos as palavras.

Hoje vou falar brevemente de dois níveis de pronúncia e de alguns pontos nos quais os brasileiros costumam ter dificuldades.Vamos pensar em pronúncia no nível da palavra e no nível das sentenças.

No nível da palavra precisamos prestar atenção a três coisas:

  • Número de sílabas
  • Sílaba tônica
  • A característica que trazemos do português de acrescentar vogais ao final de palavras e a pronunciar todas as letras que vamos escritas.

Aqui eu acho muito importante conhecer os sons das vogais em inglês. Eles têm variações de vogais longas e curtas que nós não percebemos naturalmente. A não ser que já tenhamos um ouvido muito bom. Uma referência visual é importante para abrir nossos olhos e ouvidos. No final dos livros didáticos sempre encontramos uma lista que quase nunca olhamos. Um exercício legal é pegar essa lista, ir pra um dicionário online e ir escutando as palavras exemplos ali para identificar os sons.

Nós falamos português e muitas vezes não nos damos conta de como produzimos os sons. Quem faz música percebe que nosso aparelho fonador é como um instrumento e produzir sons nada mais é do que controla a passagem do ar. É importante observar os movimentos, mesmo. Onde estamos bloqueando o ar por onde ele está passando. Se você desenvolver essa consciência, mesmo que incialmente pareça mais trabalhoso, vai ter muito mais facilidade a partir daí.

E é uma coisa física mesmo. Por isso é tão comum dizerem que as crianças têm uma pronúncia perfeita num segundo idioma. Elas estão aprendendo sons no português, têm mais flexibilidade não só cognitiva, como física. Aprender a produzir sons que não fazem parte da nossa língua requer treino muscular e de memória. E isso certamente vai acontecer em relação ao inglês. Essa língua possui 55 fonemas, enquanto o português tem 34. Temos aí sons a mais que precisamos conhecer e aprender a articular.

Por que isso é importante? Estudei inglês por muitos anos sem conhecer a tabela de sons da língua. É possível? Sim, mas ela facilita muito a pronúncia e o reconhecimento dos sons em palavras em que apenas um som já muda tudo.Além disso, se você está numa reunião, checa uma palavra que quer usar num dicionário, mas não sabe a pronúncia e não pode escutar naquele momento, pode ler os símbolos e saber do que se trata.

English-pronunciation-Mouth-Alphabet

Ninguém precisa memorizar os símbolos agora. Se você for estudando de maneira consistente, vai aprende-los naturalmente. O mesmo que acontece com a lista de verbos irregulares.O inglês é uma língua bem menos transparente que o português, o que quer dizer que a correspondência entre morfema e fonema, letras e sons, é menor que no português. Um exemplo? Through. Olhando pra palavra, quantos sons  você acha que tem? São 7 letras (morfemas) e 3 sons (fonemas). Impressionante, não?

‘Tempo’, por exemplo, ‘Time’, uma palavra que usamos com bastante frequência. Tem quantas sílabas? Uma! Daí quando alguém fala /taɪm/, não entendemos.

Falando de síbala tônica, alguns erro bastante comuns que mostram a importância dessa informação, é dizer essas palavras enfatizando a marcação em negrito: comfortable, management em vez de comfortable, management . Imagina alguém pedindo para você um copo de aguá. Percebe o estranhamento? Isso numa frase curta não cria tanto problema, mas em reuniões, apresentações e falas mais longas, pode criar grandes problemas. Nos dicionários, a sílaba tônica aparece identificada por este sinal ‘.

No nível de palavra ainda é importante prestar atenção às terminações em consoante, que não acontecem no português. Temos palavras terminadas em r, m, l… mas não temos palavras terminas em d, t, p, etc. Tendemos a completar as palavras usando vogais e, consequentemente, adicionado sílabas que não existem. Para sentir o estranhamento, pense em alguém dizendo homeme em vez de homem.

Agora falemos do nível ainda mais importante que é o da frase e que tem um impacto imenso na comunicação. Posso pronunciar as palavras da forma correta, mas se eu não me atentar ao que acontece na fala corrida, às conexões que acontecem entre os sons, vou ter muitas dificuldades de comunicação também.

Quando temos duas palavras, uma que termina com consoante e outra que começa com consoante, pode acontecer muitas coisas… nos casos mais comuns, articulamos a consoante final de uma palavra e soltamos o ar só na próxima palavra.

Nesse nível, outro ponto importante para prestarmos atenção é quais palavras recebem atenção nas frases. Quais palavras serão enfatizadas= content words (substantivos, verbos, adjetivos, verbos e às vezes advérbios-as palavras que carregam o sentido da frase). É isso que dá ritmo à frase, sem deixa-la robótica.

A entonação também é um aspecto que pode mudar o sentido das frases.

A lista de detalhes para considerarmos ao estudar é bastante extensa. Então, gostaria de resumir os pontos principais de hoje:

  • Porque devemos nos preocupar com pronúncia? Para facilitar nossa comunicação e entendimento. Os falantes de todo o mundo deveriam se preocupar com esses detalhes, assim seria muito mais fácil nos entendermos.
  • Pronúncia incorreta por ter efeitos negativos nas nossas 4 habilidaes.
  • Ninguém precisa se preocupar em falar como um nativo.

Como vocês podem ver o tópico é bastante extenso e cheio de detalhes. Espero que hoje eu possa ter conseguido ajudar vocês a criarem essa postura mais alerta e cuidadosa me relação aos estudos. A pronúncia deve perpassar o estudo da língua, o tempo todo, desde o início.

Alunos de intermediário adiante que queiram estudar sozinhos, indico o livro Pronunciation for Brazilians, que tem uma série de exercícios, com ficha de respostas e áudio, inclusive.

Para quem quer estudar isso com mais detalhes e ter feedback e acompanhamento, em julho vou oferecer um curso de pronúncia de inglês para brasileiros, com sessões para falar de tudo isso e outras características com mais detalhes. . Caso tenha interesse e queira receber mais informações, cadastre-se no link: http://eepurl.com/dtevUj

Muito obrigada! Caso tenham mais dúvidas e sugestões, podem deixar aqui nos comentários.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s